Conheça as mobilizações de alunas do curso online de multiplicadores

  • Compartilhar Facebook
  • Compartilhar Twitter
  • Compartilhar Google +
29/05/2020

mobilizacao muliplicadores

 

Por meio de uma parceria com a Prefeitura Municipal de São Paulo e a Secretaria Municipal de Educação (SME), professores da rede pública do município concluíram o curso de Multiplicadores da Criança Segura.

O curso, organizado em 8 aulas, com duração de 3 meses e carga horária total de 60 horas, aborda a prevenção de acidentes como quedas, afogamentos, sufocações, intoxicações e acidentes nos esportes e trânsito. No final da formação, os alunos do curso elaboram um plano de ação para multiplicar o conhecimento adquirido e realizar ações de mobilização em sua comunidade ou ambiente de trabalho.

A seguir estão os relatos de algumas ações realizadas pelos alunos:

Amarrando os cadarços e aprendendo a evitar quedas

Maria Solange e a Suzana Lourenço, da EMEI Alice Alves Martins, de São Paulo, observaram que havia muitos problemas com quedas na escola e viram que seria muito importante trabalhar a prevenção com as crianças e educadores da instituição. A ação mobilizadora de prevenção incluiu uma série de aprendizados: amarração correta do tênis, evitando as quedas recorrentes em escadas e no parque, empatia e cooperação entre as crianças. “Como fizemos duplas de crianças que já sabiam amarrar o tênis com crianças que não sabiam amarrar, uma ajudou a outra. Alcançamos nosso objetivo em 80%, mas pretendemos continuar fazendo a oficina”, explica Maria Solange.

Entorno escolar seguro

A partir da observação do entorno, bastante movimentado da escola, a Carolina Ximenes, da EMEI Cásper Líbero, de São Paulo, optou por trabalhar a prevenção de acidentes com crianças a partir do tema mobilidade para pedestres. “O objetivo foi sensibilizar pais e crianças sobre o trajeto casa/escola para que seja feito de forma segura, após a primeira atividade com as crianças para sondagem de como chegam à escola, percebi que muitos chegavam a pé, portanto o primeiro momento foi uma roda de conversa sobre atenção nas ruas”, explica Carolina. Na sequência conversaram sobre como era esse trajeto até a escola, como deveriam se comportar como pedestres, o que deviam respeitar e quais seriam os pontos de atenção nessa caminhada.

Brincando no parque de forma segura

A Luana Serafim, da EMEI Vicente Paulo da Silva, de São Paulo, observou que estavam ocorrendo muitas quedas no parque da escola. A partir disso, ela realizou uma roda de conversa com seus alunos sobre as causas e prevenções desse tipo de acidente. Na atividade, a professora passou alguns vídeos da Criança Segura para os alunos e trabalhou o tema por meio de desenhos. Ao final, foi montado um painel com as produções dos alunos e sempre que eles vão ao parque a professora relembra os cuidados que devem ser tomados. “As atividades tiveram um bom resultado, as quedas diminuíram e as crianças ficaram mais conscientes”, comenta a Luana.

Brincadeiras e palestras para aprender a evitar acidentes

Já a Tamiris Ribeiro, da EMEI Tide Setúbal, de São Paulo, realizou sua mobilização com professores e alunos. Com o grupo de professores, realizou uma palestra abordando os índices de acidentes com crianças até 14 anos e comparações entre o número de internações por acidentes e ocorrências fatais. Com o grupo de alunos, trabalhou o tema de forma lúdica por meio de brincadeiras. “Também realizamos a exploração dos entornos da escola para visitar o parque que fica a 1 km da escola, durante o trajeto fomos conversando sobre os riscos do caminho e enfatizando as atitudes necessárias para chegar em segurança ao nosso destino. No retorno fizemos uma roda de conversa para relatar as observações e cuidados que tivemos no passeio”, conta a professora.

A prevenção começa dentro de casa

A Cintia Arakaki, da EMEI Jean Piaget, de Santana de Parnaíba, observou minuciosamente todos os perigos e acidentes que um ambiente doméstico inadequado pode causar. Ela utilizou sua residência como experiência, provocando uma série de mudanças de comportamento na família. “Avaliamos cada cômodo, espaço e mobiliário da casa verificando riscos que poderiam oferecer, em especial às nossas filhas de 11 meses e 2 anos. As descobertas foram compartilhadas com pessoas próximas, como os avós, a babá e a faxineira. Sinto que ter passado essas informações para outras pessoas não só previne acidentes com minhas filhas, mas também para outras crianças que eles conhecem”, comenta Cintia.

Mobilização com a comunidade da igreja

A Gisele Aparecida, professora da CEI Diretor Teotônio Vilela, de Santo André, fez rodas de conversa no curso de catequese da igreja que frequenta, envolvendo 75 crianças – divididas em 5 grupos – e seus familiares, além dos educadores atuantes na instituição. “Os resultados excederam as minhas expectativas, pois houve muita interatividade e interesse dos participantes. A Igreja já me convidou para realizar a ação novamente para as próximas turmas”, comentou a aluna.

Todas essas ações, e muitas outras que os alunos do curso realizam, são muito importantes para que cada vez mais pessoas saibam como prevenir os acidentes com crianças. Em nosso site, disponibilizamos um curso online gratuito para familiares e responsáveis desenvolvido para informar a esse público sobre medidas que podem ser adotadas para prevenção de acidentes com crianças até 14 anos. Basta acessar esse link https://ead.criancasegura.org.br/login.php e realizar sua inscrição. A informação e o conhecimento salvam vidas!

Membro de
Patrocinadores Institucionais
Seja nosso parceiro

Seja também nosso parceiro


Desejo receber novidades da Criança Segura e/ou parceiros por e-mail.

Receba nossas notícias!

Cadastre-se para receber a nossa newsletter, ou se preferir baixe o arquivo clicando no botão abaixo.