Acidentes

Por que acidentes podem ser mais perigosos para crianças?

Porque acidentes podem ser mais perigosos para crianças?
  • Compartilhar Facebook
  • Compartilhar Twitter
  • Compartilhar Google +
06/04/2018

Acidentes são a principal causa de morte de crianças e adolescentes de um a 14 anos Brasil. De acordo com dados do Ministério da Saúde, todos os anos, cerca de cerca de 3,8 mil meninos e meninas dessa faixa etária morrem e outros 117 mil são internados em estado grave por motivos acidentais.

Devido a características próprias do desenvolvimento infantil, crianças correm mais riscos de se envolverem em acidentes e de se machucarem mais seriamente neles do que adultos. Entretanto, estudos afirmam que 90% dos acidentes podem ser evitados com medidas simples de prevenção. Por isso, é tão importante que familiares e  responsáveis se informem sobre o assunto e adotem comportamentos seguros para prevenir acidentes na infância.

Para te ajudar a entender um pouco mais sobre como o desenvolvimento das crianças e suas experiências se relacionam com os acidentes que podem acontecer durante a infância, continue lendo este artigo.

Por que os riscos de um acidente são maiores para crianças?

Ao contrário do que algumas pessoas acreditam, crianças não são versões miniaturas dos adultos, cuja a única diferença entre um e outro é a altura. Além de terem tamanho menor, meninos e meninas apresentam diferenças em relação aos adultos quanto ao seu desenvolvimento, experiência e comportamento. E, em casos de acidentes, todos esses fatores são agravantes que podem aumentar os riscos de lesões e até mesmo de morte.

Corpos mais frágeis

Por ainda estarem se desenvolvendo, os corpos das crianças são mais frágeis, possuem a pele mais fina, órgãos internos ainda imaturos e o esqueleto mais delicado.  Devido a isso, crianças possuem menor capacidade de absorver ou tolerar impacto ou lesões.

Por exemplo, se uma xícara de café quente é derramada em uma criança, a área de seu corpo que será atingida pela lesão vai ser proporcionalmente maior do que se a mesma xícara caísse sobre um adulto. Isso torna a queimadura na criança mais séria.

Outro exemplo é em caso de ingestão acidental de produto tóxico. Como a criança é menor e seus órgãos internos são mais frágeis, os efeitos nocivos de tal substância serão mais agressivos à criança do que seriam em um adulto.

Dificuldade de equilíbrio e pouca força

Outra característica que favorece a ocorrência de acidentes com crianças é que elas são, proporcionalmente, mais pesadas na porção superior de seus corpos do que adultos. Devido a isso, são mais propensas a perda de equilíbrio e quedas e possuem mais dificuldade para se levantarem. Sendo assim, uma criança pequena que se desequilibra e cai em uma piscina infantil muitas vezes não tem força suficiente para levantar o rosto e o tronco para tirá-los da água e acaba se afogando.

Capacidade limitada de reconhecer e se livrar de situações perigosas

Além disso, crianças ainda não possuem totalmente desenvolvida sua coordenação motora e capacidade de reconhecer situações perigosas. Dessa forma, muitas vezes, por imaturidade, curiosidade ou desejo de se aventurar, elas acabam se colocando em risco sem saber e depois não têm habilidade de se livrar dessas circunstâncias. Por exemplo, uma criança que decide nadar no mar desacompanhada de um adulto. Por ter muita vontade de se divertir, mas não ter conhecimento suficiente, ela pode entrar na água em uma área que seja desaconselhada para banhistas e acabar presa em uma correnteza da qual ela não tem condições de sair sozinha.

Com base nas informações apresentadas até agora, é possível compreender porque é tão importante que os adultos estejam sempre atentos às crianças e possam protegê-las de situações de risco e orientá-las sobre como evitar que se coloquem em perigo ao longo de sua vida.

A seguir, apresentamos algumas características específicas do desenvolvimento infantil de cada faixa etária que podem favorecer que acidentes aconteçam.

Características infantis que favorecem acidentes por faixa etária:

De 0 a 4 anos: 

– Vivenciam forte presença do lúdico;

– Sua estrutura física está em desenvolvimento, o que a torna frágil;

– Não reconhecem os perigos;

– Sua coordenação ainda está em desenvolvimento;

– Imitam o comportamento do adulto;

– Têm habilidade limitada para reagir ao perigo;

– Têm desejo natural de explorar pela boca;

– Possuem tamanho pequeno;

– Têm o centro de gravidade mais alto, devido ao peso da cabeça em relação ao resto do corpo.

Nessa faixa etária, os acidentes que mais tiram vidas de crianças são a sufocação e o afogamento. Clique em cada um deles e veja aqui dicas de como evitá-los.

De 5 a 14 anos:

– Têm interesse por velocidade, aventura e ousadia;

– Distraem-se facilmente;

– Podem ser persuadidas;

– Têm crescente independência;

– Apreciam experimentar coisas novas;

– Aderem às regras do grupo;

– Assumem tarefas de adultos;

– Seu crescimento na altura supera sua coordenação e maturidade.

Nessa idade, a principal causa de morte acidental são acidentes de trânsito. Saiba como preveni-los aqui.

Pais, familiares e cuidadores têm um papel importante na garantia da segurança de meninos e meninas. Reconhecendo as características próprias da infância, é possível estar preparado para evitar situações perigosas no dia a dia da criança. Além disso, com atenção e carinho, podem ensiná-las, conforme crescem, sobre como elas podem tomar conta de si mesmas e evitar acidentes.

Se interessou pelo assunto e deseja se aprofundar ainda mais no tema? Então, inscreva-se no Curso On-line Criança Segura para Familiares e Responsáveis. É totalmente gratuito. Aproveite!

Membro de
Patrocinadores Institucionais
Seja nosso parceiro

Seja também nosso parceiro


Desejo receber novidades da Criança Segura e/ou parceiros por e-mail.

Receba nossas notícias!

Cadastre-se para receber a nossa newsletter, ou se preferir baixe o arquivo clicando no botão abaixo.