Queda

Andador infantil: 3 razões para nunca usar esse equipamento

Andador infantil / Photo credit: Atacadão do Bebê on Visualhunt / CC BY-NC-SA
  • Compartilhar Facebook
  • Compartilhar Twitter
  • Compartilhar Google +
27/04/2018

Ele parece inofensivo, apenas mais um brinquedo para as crianças, mas pode representar sérios riscos à saúde e à vida dos bebês. Estamos falando dele: o andador infantil.

Esse equipamento é contraindicado por pediatras e especialistas em segurança infantil em todo o mundo. No Brasil, a Sociedade Brasileira de Pediatria, em conjunto com outras organizações (como a Criança Segura), realiza desde 2013 um grande movimento com o objetivo de banir o uso do andador infantil no país. Em alguns países – como Canadá – a comercialização desses dispositivos já é proibida.

Porém, mesmo com toda essa corrente contrária, muitos pais, familiares e cuidadores ainda permitem que bebês utilizem esse equipamento. Eles alegam que esse dispositivo possibilita que as crianças se exercitem, aprendam a andar mais rápido e tenham mais liberdade para circular. Entretanto, nada disso é verdade.

Mas, afinal, por que tantas pessoas são contra o uso dos andadores? O que os torna tão prejudiciais às crianças?

A seguir, iremos apresentar três razões para você nunca deixar um bebê utilizar esse equipamento.

1. Aumenta – e muito – o risco de acidentes graves e mortes

Bebês possuem o esqueleto e órgãos internos mais frágeis, pois ainda estão em desenvolvimento. Eles também não têm os ossos do crânio totalmente fechados, o que lhes proporciona mais risco de dano cerebral em caso de quedas. Por isso os andadores representam um risco tão grande às crianças.

No andador, os bebês se locomovem mais rápido do que o habitual, podendo atingir 1 m/s. A uma velocidade maior, a força do impacto em caso de queda ou de colisão com um objeto também é maior, o que pode gerar fraturas e lesões graves.

Toda essa rapidez que os bebês ganham ao estarem sentados em um andador faz com que, muitas vezes, familiares e cuidadores não consigam alcançar a criança a tempo para protegê-la quando ela se aproxima de alguma situação perigosa. Assim, a criança pode cair em uma piscina, alcançar um produto tóxico ou até mesmo o cabo de uma panela no fogão sem que um responsável consiga ter tempo de evitar esse acidente. E todos esses incidentes costumam ter sérias consequências para os bebês.

2. Faz com que a criança comece a andar mais tarde

Estudos comprovam que, contrariando o que acredita o senso comum, crianças que usam o andador começam a andar mais tarde. Isso porque, ao se colocar uma criança que ainda não sabe andar nesse equipamento, ela deixa de fortalecer os músculos e tendões de suas pernas que são essenciais para que ela dê os primeiros passos sozinha.

3. Bebês não têm maturidade para administrar tanta liberdade

Como argumento em defesa ao uso do andador infantil, alguns adultos dizem que ele proporciona mais liberdade para a criança. Entretanto, bebês ainda não têm conhecimentos e experiência suficientes para administrarem tanta liberdade sem correrem sérios riscos. Eles devem ser cuidados e supervisionados constantemente por adultos para que possam crescer de forma segura e saudável.

Está convencido da importância de se evitar o uso de andadores infantis por bebês? Então, compartilhe esse conteúdo com seus familiares e amigos. Curta nossa página no Facebook e mantenha-se sempre informado sobre tudo o que envolve a prevenção de acidentes com crianças.

Membro de
Patrocinadores Institucionais
Seja nosso parceiro

Seja também nosso parceiro


Desejo receber novidades da Criança Segura e/ou parceiros por e-mail.

Receba nossas notícias!

Cadastre-se para receber a nossa newsletter, ou se preferir baixe o arquivo clicando no botão abaixo.